NADA NOVO é uma associação que promove a reutilização de componentes e materiais de construção, e explora os desafios culturais da sua aplicação.






  • >> em curso <<                                        


FÓRUM NADA NOVO > EVENTO FINAL@ADEGA, Porto. 20th July 2024 (inscrições abertas) +info

FÓRUM NADA NOVO > MINI-OFICINAS, Porto. 20th July 2024 (inscrições abertas) +info

OFICINA PEÇAS RESGATADAS, Porto. 4 de julho - 17 de julho, 2024
(inscrições aqui até 28 de junho) +info

FÓRUM NADA NOVO, Porto e Guimarães. janeiro - julho de 2024, apoio Direção-Geral das Artes (Portugal), no âmbito do apoio à Criação - Arquitetura. +info



Sobre

A NADA NOVO, fundada em 2023, em Portugal, desenvolve atividades com a indústria e a academia e na esfera pública, incluindo a investigação da reutilização em construção tradicional, contemporânea e futura. A associação procura fazer a ponte entre entidades públicas, profissionais da construção, cadeias de abastecimento e o público em geral. Faz uso de uma abordagem transdisciplinar, com atividades participativas abertas e inclusivas, que incluem oficinas, construção experimental, formação, exposições e publicações.

A NADA NOVO pretende contribuir para a criação de redes e mapeamentos de empreiteiros de demolição, fornecedores, artesãos e técnicos ligados à reutilização de componentes de construção. 
A associação é também ativa no campo das artes visuais e performativas para chegar a públicos mais diversos.

(1) fonte (2) categorização 
(3) cuidar e valor social (4) uso 


Manifesto


1. NADA NOVO abraça a premissa de que os princípios da reutilização não são 'novos’, e adota uma agenda 'anti-novo’. / 2. NADA NOVO desafia as autoridades, escolas, indústria e projetistas a responder à crise climática explorando o Antropoceno como fonte alternativa de materiais à extração de matérias-primas virgens. / 3. NADA NOVO promove a reutilização de componentes e reflecte sobre as oportunidades que poderá criar nas práticas conceptuais e construtivas. / 4. NADA NOVO confronta as práticas convencionais de obtenção, armazenamento e fluxo de materiais da indústria da construção com estratégias de reutilização. / 5. NADA NOVO acredita que implementar a reutilização na construção é um desafio cultural que requer envolvimento criativo e novos modelos colaborativos com públicos profissionais e não profissionais. / 6. NADA NOVO rejeita conceitos binários de património que dividem os materiais em elementos de ‘alto’/’baixo’ valor; encoraja a ampliação das estéticas dos edifícios e lugares. / 7. NADA NOVO procura métodos para superar a conotação depreciativa da reutilização de componentes a contextos de auto-construção. / 8. NADA NOVO defende a adopção de prácticas circulares como meio para uma habitação mais acessível e sustentável. / 9. NADA NOVO destaca o potencial de uma transformação radical da economia de materiais, por meio da reutilização, para combater as desigualdades sociais presentes na indústria da construção.

Quem somos 


NADA NOVO nasceu no seguimento da perceção mútua dos fundadores— Cláudia Escaleira e Jonny Pugh, ambos com experiência prática e académica— da necessidade de ação, promoção, reflexão e debate sobre a reutilização de componentes construtivos. 

NADA NOVO – ASSOCIAÇÃO, 2023-2026 (da esquerda para a direita): 
Alice Prata, Cláudia Escaleira, Jérémy Pernet, Patricia Robalo, Jonny Pugh, Bruno Figueredo, Cidália Silva, Carlos Maia, Clara Vale, Rosinda Casais, (João Martins, Daniela Pugh).

Parceiros


A associação desenvolveu-se com base na participação e interesse de membros multidisciplinares e beneficia de experiências de organizações e grupos nacionais e internacionais, com os quais estabeleceu parcerias, incluindo:
Rotor, Bélgica / Opalis (INTERREG), Europa / Circular[x]Change, Europa / NEB goes South, Europa / Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (FAUP) / Escola de Arquitetura, Arte e Design da Universidade do Minho (EAAD) / O Instituto, Porto / Banco de Materiais do Município do Porto / Pele, Porto / ACE-Escola de Artes, Porto / Mulheres na Arquitectura (MA), Portugal / A Secção Regional do Norte da Ordem dos Arquitectos, Portugal / Associação Portuguesa para a Reabilitação Urbana e Proteção do Património (APRUPP), Portugal. 



Notícias


2024


> 4 de junho. INTERMÉDIOS contrato com Direção-Geral das Artes (Portugal), no âmbito do apoio à Criação - Arquitectura.

> 31 de maio - 1 de junho. Participação e conferência ‘Reuse in construction: mapping the “mines” for our future‘ no festival ‘Gentler Futures’, Lisboa. Coordenação: By The End of May

> 3 de maio. Atividade paralela do projecto FORÚM NADA NOVO na Garagem Avenida, Guimarães: O percurso do Namalet: Mapear para a urgência de reutilização no contexto de ruínas da guerra. Sarah Shrbaji.

> maio. NADA NOVO junta-se à organização europeia para a construção circular: Circular[x]Change, e participação online no evento anual 2024 ‘How will the circular transition transform architectural practice’.

> 19 de abril. Inauguração e conversa, REPOSIÇÃO | Peças Desgarradas: a origem dos materiais, Galeria da Garagem Avenida, Guimarães.

> março - maio. Oficina de apoio à criação de NEROVNOST-ACE, ACE-Escola de Artes, Porto.

> 22 de março. Inauguração e conversa, EXPOSIÇÃO | Peças Desgarradas: a origem dos materiais, INSTITUTO, Porto.

> 11 de março. Organização e moderação da conferência de Victor Meesters (ROTOR): From Spolia to Opalis, Faculdade de Arquitetura da Universidade de Porto (FAUP).

> 22 de fevereiro. Vídeoconferência na Faculdade de Arquitetura, Universidade de Lisboa [PRAXIS] 7.º Ciclo de Vídeoconferências. (Gravação aqui ).

> 24 de janeiro - 1 de fevereiro. OFICINA | Peças Desgarradas: a origem dos materiais. Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (FAUP), Porto | Escola de Arquitectura, Arte e Design da Universidade do Minho (EAAD), Guimarães.

2023


> 10 de novembro. FÓRUM NADA NOVO contrato com Direção-Geral das Artes (Portugal), no âmbito do apoio à Criação - Arquitectura

> 29 de setembro. Participação + moderação (Cláudia Escaleira), na 1ª edição do Seminário Internacional Shift – Arquitetura e Sustentabilidade, sob o tema ‘Arquitetura Material’. Casa da Arquitectura, Matosinhos, com curadoria do arquiteto Paulo Moreira.

> julho. ‘No Original’ proposta desenvolvida para ‘open call’ pela CIRCULAR BUILDINGS COALITION (Europe).

> 5 de Junho. Fundação da associação NADA NOVO, no Dia Mundial do Ambiente.



Projectos






→ FÓRUM NADA NOVO


FÓRUM NADA NOVO é um convite à participação num programa de atividades sobre reutilização na construção, com oficinas, conversas e exposições para estudantes do ensino superior, profissionais e público geral.

O FÓRUM NADA NOVO explora, coletivamente, o destino dos destroços dos edifícios que demolimos para renovar as cidades (Porto e Guimarães) e procura as peças desgarradas que escaparam à desintegração e se acumulam no fundo de armazéns.
Cartografa as vidas, regista os significados e fotografa as novas ‘minas’.
Resgata as peças e constrói o Fórum em que ‘nada é novo’— nem as peças nem a prática da reutilização— e que suporta a reflexão central:
Qual o futuro com a reutilização? Como mudaremos?


O projecto distribui-se por três práticas artísticas principais, interligadas, com formatos, espaços, metodologias, públicos e objetivos distintos: 
- 'Peças Desgarradas: A origem dos Materiais' - Oficina de exploração e criação e Exposição
- 'Peças Resgatadas: Práticas conceptuais e construtivas' - Oficina de reutilização e construção de dispositivo espacial ‘Fórum’ e Exposição, integrada no ‘FÓRUM NADA NOVO’
- 'FÓRUM NADA NOVO‘ – Fórum focado na reutilização que integra as Exposições, Mini-oficinas, e Conversas.

As diferentes práticas distribuem-se pela zona norte do País (distritos do Porto e Guimarães). A partir das Escolas de Arquitetura (Porto e Guimarães) deslocam-se os participantes a fornecedores de materiais, para depois serem encaminhados para os centros culturais na cidade urbana (Garagem Avenida e O Instituto), até à associação comunitária (A Pele), em Campanhã.

O ‘FÓRUM NADA NOVO‘ decorre em Campanhã porque esta representa a realidade de desigualdades no Porto, ao mesmo tempo que atravessa um processo de forte regeneração urbana por obras de grande dimensão assente em processos de construção nova e de reabilitação que movimentarão enormes quantidades de materiais e componentes construtivos. De modo provocatório, chama-se a atenção para o desenvolvimento que ignora o potencial ambiental e social da reutilização.

Datas do projeto: 
janeiro-julho 2024

Equipa NADA NOVO:
Cláudia Escaleira
Jonny Pugh
Alice Prata
Jérémy Pernet
Rosinda Casais
Clara Vale
Carlos Maia
Cidália Silva
Patrícia Robalo

Colaboradores:
Tiago Ascensão
Sarah Shrbaji

Apoio Financeiro:

Direção-Geral das Artes, Portugal.

Parceria:
Escola de Arquitetura, Arte e Design da Universidade do Minho (EAAD) / Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (FAUP) / Pele, Porto / Mulheres na Arquitectura (MA) / O Instituto, Porto / Banco de Materiais do Município do Porto.

Apoios:
Rotor, Bélgica / NEB goes South, União Europeia.

Apoios institucionais:
Secção Regional do Norte da Ordem dos Arquitectos (OASRN) / Associação Portuguesa para a Reabilitação Urbana e Proteção do Património (APRUPP).




→ FÓRUM NADA NOVO > OFICINA PEÇAS DESGARRADAS


Uma atividade do projeto FÓRUM NADA NOVO, ‘Peças desgarradas: a origem dos materiais’ foi uma oficina realizada em janeiro de 2024 entre a Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (FAUP) e Escola de Arquitetura, Arte e Design da Universidade do Minho (EAAD).

A oficina propôs-se explorar os percursos das destroços dos edifícios que demolimos para renovar a cidade e o seu potencial de reutilização, e contaminar os olhares dos participantes pelas perspetivas dos valores sociais do património material, sustentabilidade ambiental e das desigualdades de género nas profissões da construção.

Onde estão estas ‘peças desgarradas’? Como se dispersam pelo território 'as minas' onde se acumulam? edifícios abandonados? empresas de demolição? empresas de construção? armazéns? museus? coleções informais? sucateiros?
De que maneiras podemos qualificar os seus ‘valores’? Qual o seu potencial estético? simbólico? espacial? político?
Que processos socioeconómicos as fizeram chegar aqui? Que futuros incertos poderão vir a ter?
Quem são as pessoas que lidam com esta vertente oculta da construção? e quais são os seus motivos?



Os participantes visitaram 4 tipos distintos destas ‘minas’, cada um correspondendo a um tema (‘origem’, ‘salvaguarda’, ‘aproveitamento’, e ‘resíduo’). Foram desafiados a criar, num processo exploratório e especulativo, objetos simbólicos que apontem para releituras e significados estéticos que vão além da noção redutora da cartografia como instrumento utilitário de orientação geográfica ou de representação física de um território.

Os resultados do oficina foram expostos em dois centros culturais distintos nas cidades do Porto e Guimarães.




Fotos: Mayra Derberg, Clara Vale, Jonny Pugh, Eduardo Baltazar, Ana Alvanéo, Ana Dora
Datas: 
24 de janeiro - 1 de fevereiro 2024

Equipa:
Cidália Silva
Cláudia Escaleira 
Jonny Pugh
Clara Vale
Patrícia Robalo
Tiago Ascensão
Sarah Shrbaji
Rosinda Casais
Alice Prata

Participantes:

Ana Alvanéo
Ana Marques
Ana Dora
Paula Lage
Mayra Deberg
Michael Lambuth
Teresa Almeida
Ricardo Serafim
Eduardo Peixoto
Paulo Sousa
Rodrigo Pereira
Célia Barbosa

Apoio Financeiro:

Direção-Geral das Artes, Portugal.

Parceria:
Escola de Arquitetura, Arte e Design da Universidade do Minho (EAAD) / Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (FAUP) / Pele, Porto / Mulheres na Arquitectura (MA) / O Instituto, Porto / Banco de Materiais do Município do Porto.

Apoios:
Rotor, Bélgica / NEB goes South, União Europeia.

Apoios institucionais:
Secção Regional do Norte da Ordem dos Arquitectos (OASRN) / Associação Portuguesa para a Reabilitação Urbana e Proteção do Património (APRUPP).




→ FÓRUM NADA NOVO > EXPO PEÇAS DESGARRADAS


Reúne os resultados da 1ª atividade pública do projecto FÓRUM NADA NOVO: PEÇAS DESGARRADAS: A ORIGEM DAS MATERIAIS, uma oficina realizada em janeiro de 2024 entre a Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (FAUP) e Escola de Arquitetura, Arte e Design da Universidade do Minho (EAAD).


Fotos expo INSTITUTO, Porto: Jérémy Pernet


Lorem Ipsum...

Fotos expo GARAGEM AVENIDA, Guimarães: Jérémy Pernet


Folha de Sala


Filme
Locais: Banco de Materiais, Câmara Municipal do Porto / RBA Armazém de Oportunidades, Silva / MV Gestão de Resíduos, Gondar 
Vídeos: Ana Alvanéo / Mayra Derberg / Jonny Pugh
Edição: Jonny Pugh


Datas:
 
22 março - 17 abril 2024. INSTITUTO, Porto.
19 Abril - 10 Maio 2024. GARAGEM AVENIDA, Guimarães. 

Equipa:
Cidália Silva
Cláudia Escaleira 
Jonny Pugh
Clara Vale
Patrícia Robalo
Tiago Ascensão
Sarah Shrbaji
Rosinda Casais
Alice Prata

Fotografia de exposição:
Jérémy Pernet 

Participantes:

Ana Alvanéo
Ana Marques
Ana Dora
Paula Lage
Mayra Deberg
Michael Lambuth
Teresa Almeida
Ricardo Serafim
Eduardo Peixoto
Paulo Sousa
Rodrigo Pereira
Célia Barbosa

Colaboradores:
Tadej Urh
Mahdi Alizadeh
João Alves
Pedro Almeida

Apoio Financeiro:

Direção-Geral das Artes, Portugal.

Parceria:
Escola de Arquitetura, Arte e Design da Universidade do Minho (EAAD) / Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (FAUP) / Pele, Porto / Mulheres na Arquitectura (MA) / O Instituto, Porto / Banco de Materiais do Município do Porto.

Apoios:
Rotor, Bélgica / NEB goes South, União Europeia.

Apoios institucionais:
Secção Regional do Norte da Ordem dos Arquitectos (OASRN) / Associação Portuguesa para a Reabilitação Urbana e Proteção do Património (APRUPP).




→ FÓRUM NADA NOVO > OFICINA PEÇAS RESGATADAS


Nesta terceira atividade do projecto FÓRUM NADA NOVO, a oficina ‘PEÇAS RESGATADAS: PRÁTICAS CONCEPTUAIS E CONSTRUTIVAS’ aborda as implicações da reutilização nas práticas conceptuais e construtivas, com técnicas experimentais e usos não convencionais de materiais, e na exploração da linguagem estética da reutilização.

Num acto de concepção e construção coletivo e participativo, cria-se o ‘FÓRUM’ —dispositivo espacial simbólico— que pretende ser: a representação simbólica da urgência da discussão sobre um futuro humano com escassez de materiais; o dispositivo político de participação cívica para discutir um futuro sustentável; e o ‘centro’ deste encontro.

O ‘FÓRUM’ constrói-se com componentes de construção usados recolhidos nos locais visitados na Oficina 'PEÇAS DESGARRADAS' e em outros fornecedores da área envolvente e de demolições ocorridas entretanto.

Complementa-se o desenvolvimento da oficina com a presença da Mulheres na Arquitectura, para confrontar os participantes com questões práticas de desigualdade de género nas profissões da construção. 

A oficina e evento final (20 de Julho) do projecto FÓRUM NADA NOVO acontecem em Azevedo, Campanhã, na ADEGA - PELE (associação cultural de proximidade), parceira do projecto. Nesta área da cidade do Porto, ao mesmo tempo que somos confrontados com realidades sociais profundamente desiguais, assistimos a processos de forte regeneração urbana com obras de construção nova e de reabilitação de grande dimensão que deslocalizam quantidades enormes de materiais e componentes construtivos. 

De modo provocatório, chama-se a atenção para a necessidade de desenvolvimento que incorpore o potencial social e ambiental da reutilização.





‘Adega’, associação cultural Pele, Azevedo, Porto. 
Foto Rosinda Casais

Público alvo: 
Estudantes universitários, Profissionais, Público geral 

Local: 
ADEGA - Pele, Azevedo (Campanhã), Porto

Datas:
4 - 17 julho 2024

Equipa NADA NOVO:
Clara Vale, FAUP/ CEAU
Carlos Maia EAAD-UM
Cláudia Escaleira
Jonny Pugh
Alice Prata
Rosinda Casais
Jérémy Pernet

Equipa PELE:
Fernando Almeida
Carina Moutinho
João Soares
Sara Jorge
Carolina Bravo
Maria João Mota
Inês Lapa

Equipa Mulheres na Arquitectura:
Joana Pestana Lages

Apoio Financeiro:

Direção-Geral das Artes, Portugal.

Parceria:
Escola de Arquitetura, Arte e Design da Universidade do Minho (EAAD) / Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (FAUP) / Pele, Porto / Mulheres na Arquitectura (MA) / O Instituto, Porto / Banco de Materiais do Município do Porto.

Apoios:
Rotor, Bélgica / NEB goes South, União Europeia.

Apoios institucionais:
Secção Regional do Norte da Ordem dos Arquitectos (OASRN) / Associação Portuguesa para a Reabilitação Urbana e Proteção do Património (APRUPP).